[Resenha] Fifty shades of Grey #3, Cinquenta tons de liberdade - E L James

02:00

Nome: Cinquenta tons de liberdade
Título original: Fifty shades freed
Autor (a): E L James
Ano: 2012
Nº de páginas: 544
Avaliação: 
Trilogia: Fifty shades of Grey #3


Quando a ingênua Anastasia Steele conheceu o jovem empresário Christian Grey, teve início um sensual caso de amor que mudou a vida dos dois irrevogavelmente. Chocada, intrigada e, por fim, repelida pelas estranhas exigências sexuais de Christian, Ana exige um comprometimento mais profundo. Determinado a não perdê-la, ele concorda. Agora, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades a sua frente. Mas Ana sabe que o relacionamento não será fácil, e a vida a dois reserva desafios que nenhum deles seria capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar do que o atormentava no passado. Quando parece que a força dessa união vai vencer qualquer obstáculo, a malícia, o infortúnio e o destino conspiram para transformar os piores medos de Ana em realidade










O fim da trilogia que conquistou o mundo 


              O tão aguardado fim da trilogia que virou febre no mundo. Neste exemplar a relação de Grey e Steele evoluiu para algo mais que as práticas sexuais nada convencionais de Christian, o que salvou a trilogia já que o primeiro livro não é bom.

               Ana e Christian se casaram, e eles finalmente  vão ter uma lua de mel normal – nos padrões CEO de Grey, claro – com amor, viagens caras, e momentos íntimos e intensos. O que Ana não esperava é que existem pessoas que desejam atingir Grey, e como ela é sua esposa, se torna um alvo fácil.

                E ainda surge um fato que pode ser visto como uma ameaça ao casamento dos dois. No meio de todos esses acontecimentos, Ana tem que ser forte (e madura) para proteger tudo que ela considera importante, principalmente seu amado marido.

                Finalmente o leitor percebe algum  amadurecimento dos personagens, principalmente Anastacia, que se torna uma mulher forte e dedicada, ela começa a reconhecer suas qualidades e aprende a lidar melhor com seus problemas. Enquanto Christian supera seus traumas e aprende a lidar com os fantasmas de seu passado para manter sua relação com Ana.


                Tenho que admitir que essa trilogia teve um impacto positivo na sociedade, já que levantou algumas questões que eram consideradas tabus pelo povo brasileiro, como os fatores sexo, submissão e sadomasoquismo, que são assuntos tratados de forma explicita nos três livros. Como era de se esperar, muitas críticas foram feitas a respeito dessa trilogia, mas todos analisaram os livros de maneira errada, muitos julgaram a E L James por escrever livros sobre sexo, enquanto minha única crítica é sobre a falta de história no primeiro livro, mas o segundo e esse último me surpreenderam (e muito), e sim, continuo afirmando que a história poderia ser mais explorada pela autora, mas ainda assim os dois últimos livros são muito melhores que o primeiro.

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe