[Resenha] Os 13 porquês - Jay Asher

01:00

Nome: Os 13 porquês
Autor (a): Jay Asher
Nº de páginas: 256

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.











Um livro que me pegou de surpresa em vários sentidos. Jay Asher conseguiu tratar de um assunto polêmico sem soar como um adulto dando um sermão, digamos assim. Nunca tinha lido um livro que tratasse do tema suicídio. Fiz uma boa escolha, Os 13 porquês é um livro fantástico e impecável, em muitos aspectos.

Clay Jensen era um adolescente como qualquer outro até o momento em que encontra uma caixa de sapatos com sete fitas cassetes. Essas fitas são narradas por Hannah Baker, o problema é que Hannah se matou. 

Cada uma das fitas contêm uma história sobre alguém. São treze histórias no total. D acordo com Hannah cada uma dessas histórias é um dos motivos que a levou a cometer suicídio. Cada fita é narrada de uma forma intrigante. Ela faz questão de mencionar o que cada um fez de mal a ela. Junto com as fitas, ela mandou um mapa da cidade todo marcado por estrelas vermelhas. As estrelas marcam os locais onde se passam as histórias narradas. E algumas regras tem que ser seguidas. Uma especificamente. Após ouvir todas as fitas, a pessoa tem que passar as fitas para a pessoa seguinte da lista, e de acordo com Hannah, a última pessoa "pode levar elas para o inferno."

Todos os ocorridos tiveram uma repercussão diferente e cada um deles levou ao seguinte, que levou ao seguinte, e como uma bola de neve, só foi aumentando. A diferença entre Clay e todos os outros é que ele era apaixonado por Hannah, e quando começa a ouvir o conteúdo das fitas, fica se perguntando o motivo de ter sido escolhido para essa fatídica lista de culpados. Mas Hannah não queria apenas culpar as pessoas, ela queria explicar para cada um deles o papel que tiveram em sua decisão. Ela queria que cada um deles tivesse que conviver com isso. Que eles acordassem de manhã, chegassem ao colégio, vissem sua cadeira vazia e se lembrassem de tudo o que ela disse. Que eles eram os culpados.

O autor conseguiu conciliar a narrativa em primeira pessoa de formas alternadas. Não de capítulo em capítulo, mas de parágrafo em parágrafo, às vezes de frase em frase. O livro faz o leitor refletir? Sim. Pelo menos me fez pensar em alguns acontecimentos ao longo da minha vida. A narrativa é pesada? Eu diria que não. Minha irmã também está lendo, então recomendo para qualquer pessoa que tenha, pelo menos, uma vaga noção do tema principal do livro. 

You Might Also Like

6 comentários

  1. Estou com e-book desse livro e estou adiando a leitura por que sei que irei me apaixonar. O tema que é tratado me chama muita a atenção, em todas as minhas leituras o tema suicidio só foi tratado em Como eu era antes de você, já leu ? Super recomendo!
    Enfim, espero poder criar coragem para ler esse livro. Parabéns pela resenha.
    Beijos,
    http://miiheomundoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse livro esta entre os meus favoritos, ele é completamente maravilhoso. Estou super empolgada para o filme, espero que saia mais notícias do projeto.

    ResponderExcluir
  3. Li essa semana. Me fez refletir muito, principalmente no que refere a forma como trato as pessoas.

    P.S.: Adorei a forma como o autor escreveu essa obra.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Li esse livro, uma leitura reflexiva e meio depressiva. Muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Eu li esse livro, eu amei, foi um livro escrito para refletir,e se por no lugar de vítima, entender o que a pessoa sente quando é tão agredida assim e chega a um ponto extremo

    ResponderExcluir

Subscribe