[Resenha] A seleção (the selection #1) - Kiera Cass

15:48

Por Ingrid Calado

Nome: A seleção
Título original: The selection
Editora: Seguinte
Autor (a): Kiera Cass
Ano: 2012
Nº de páginas: 361
Trilogia: A seleção #1
Avaliação: 

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.
Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.




Um conto de fadas distópico

    Em contos de fadas sempre são esperados momentos românticos e nostalgicos. Mas, o que se esperar e  o que dizer a respeito de um conto de fadas que na verdade é uma distopia? Apesar que no quesito distopia, A seleção deixa eu um pouco a desejar, já no quesito romance ela é impecável.
   
    America Singer é uma jovem moradora de Illéa, país que nasceu a partir do antigo Estado americano da China (nosso atual Estados Unidos da América). Nesse jovem país, o modelo de governo é a monarquia e possui um modelo de castas infundado. Sendo assim, a população é dividida de acordo com a profissão que exerce, o que, por consequencia, gera um preconceito de acordo com o valor que dão para cada profissão.

    O príncipe de Illéa, Maxon, terá que encontrar uma noiva, por essa razão, a seleção foi aberta. Qualquer jovem de todo o país pode se inscrever para concorrer a coroa. Porém, esse não é o desejo de America, ela é perdidamente apaixonada por Aspen. Por ele ser de uma casta inferior a sua, é complicado para eles terem um relacionamento.

    Participar da seleção não era uma opção para America, mas a sua mãe não pensa assim. Tudo o que a mãe dela deseja para a filha é que ela tenha uma vida melhor, e a seleção é uma forma de melhorar a vida, não só de America, mas de toda a família.

    America acaba se inscrevendo na seleção, não só por causa do acordo oferecido pela sua mãe, mas também porque Aspen praticamente lhe implorou isso. Porém, America não cogitava a ideia de ser selecionada, uma vez que julgava haver outras garotas muito mais belas e atraentes que ela, no entanto, agora ela é uma das trinta e cinco jovens que vão disputar o coração do príncipe.

    A narrativa é muito boa e não deixa a desejar em nenhum aspecto. Conforme a história vai se desenrolando, você acompanha os sentimentos dos personagens começarem a tomar forma aos poucos, o que dá ao livro uma narração leve e tranquila.

   Devo dizer que, por mais que ache Aspen um bom rapaz, estou torcendo por Maxon. O príncipe é um fofo, e eu como sou do tipo de leitora que participa da história e dou minha opinião sobre os acontecimentos e tal, aqui estou eu, declarando que quero que America escolha Maxon.

   A seleção é uma história tranquila, sem muitos acontecimentos emocionantes,o que o torna uma leitura perfeita para quem quer ler um livro para relaxar. America é uma personagem que não tem muitos defeitos, nem muitas qualidades, ela é... simples, normal, e ao mesmo tempo encantadora.

    Como em A seleção os sentimentos de America ainda não são concretos, creio que em A elite o triangulo amoroso formado no primeiro livro deva ser mais frequente, o que (eu espero) traga momentos mais emocionantes a história.

You Might Also Like

10 comentários

  1. Oi Gyh. Já li esse livro e também li A Elite. Sou team Maxon, porque ele é muito fofo! Aposto que você vai gostar ainda mais dele em A Elite. <3

    Um beijo, Karine Braschi.
    Geek de Batom. (@geekdebatom)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou terminando de ler A elite, não sei se é possível eu me apaixonar ainda mais por Maxon! <3

      Excluir
  2. Ele parece ser bonzinho, a sua resenha ficou muito boa MESMO, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom esse livro Lucas. Talvez vc goste

      Excluir
  3. Amoooooo esse livro, vc tbm vai amar A elite muito perfeito, mas.. acho que sou uma das poucas que torce pelo Aspen rsrs'

    Parabéns pela resenha ficou muito boa.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou Team Maxon, mas tbm gosto do Aspen rsrs'
      Estou lendo A elite, e estou mais apaixonada pela história- e por Maxon!!

      Excluir
  4. Adoro A seleção e A elite, ótimos livros, sou team Maxon!!
    sua resenha ficou muito boa

    ResponderExcluir
  5. A seleção *________________________*
    muito perfeito esse livro, a capa, a história, tudo!!! sou Team Aspen õ/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm amei a capa, muito perfeita, e a história então... me ganhou desde o primeiro capítulo!!

      P.S. sou team Maxon õ/ kkk

      Excluir

Subscribe