[Resenha] A hora mais sombria, A mediadora #4 - Meg Cabot

07:22

Nome: A hora mais sombria
Autor (a): Meg Cabot
Nº de páginas: 272

Série: A mediadora #4

Neste volume da coleção, Suzannah esta de ferias e começa à trabalhar como babá em um hotel chique, pois seu padrasto lhe dá duas alternativas: trabalhar, ou receber aulas particulares.Lá, ela conhece Jack, um mediador e Paul,seu irmão, um garoto muito estranho que logo se apaixona por Suze. Porém não é correspondido.Suzannah tem que trabalhar e fugir das cantadas de Paul.Numa noite, Suzannah é acordada por um fantasma de uma mulher, a ex-noiva Maria de Silva do seu namorado Jesse, e ainda exige que a construção de uma piscina nos fundos da casa de Suzannah seja interrompida imediatamente e isso faz Suze pensar em o que esta escondido lá. Será o corpo de Jesse? Suzannah em nenhum momento descarta essa possibilidade. Mas se for isso mesmo? E se solucionarem o seu assassinato e Jesse finalmente passar para o outro lado? Como será que isso vai terminar? Para nossa querida mediadora, problemas e aventuras é o que não falta.E sera que Jack fara as escolhas certas? O amor entre Suzannah e Jesse ira aguentar a todas as coisa que acontecerão?









   O que salvou este livro foi o final. Antes de começar a resenha eu tinha que falar isso. No quarto volume da série A mediadora a história toma um rumo completamente diferente de tudo o que aconteceu nos livros que antecedem este exemplar. Eu não pude deixar de notar que houve um certo amadurecimento da personagem principal, mas nada muito notável.

   Em A hora mais sombria o clima fica mais pesado para Suzannah. Ela estava acostumada a lidar com espíritos que não conhecia, e assim era mais fácil resolver as coisas de um jeito mais... violento. Mas tudo o que Suze sabe sobre os espíritos que vagam pela terra vai por água abaixo quando seu padrasto e seu meio-irmão estão cavando no quintal para construir uma piscina, e devido a escavação ela recebe uma visita no meio da noite de ninguém menos que Maria de Silva. 

   Muitas coisas interessantes acontecem com Suzannah ao longo da narrativa, e diferente de tudo o que ela já enfrentou nos últimos anos, dessa vez o assunto é pessoal. Maria de Silva é a ex-noiva de Jesse. 

   O que eu mais gostei nesse livro é que finalmente Suzannah decidiu assumir seus sentimentos por Jesse (para ela mesma, o que já é um começo), e por essa razão ela luta para não deixar que nada tire Jesse do seu lado. Nem que isso signifique enfrentar Maria e Diego.

   Ela leva todo o assunto para o lado pessoal por que foram eles (Maria e Diego) os responsáveis pela morte de Jesse.

   Jesse por outro lado, continua do mesmo jeito de sempre. Engraçado e sedutor. Os momentos em que ele aparece são sempre os mais divertidos. O padre Dom continua dando sermão de como ser um bom mediador. Os irmãos de Suzannah continuam a atormentá-la (coisa de irmão mesmo). E um novo mediador vai estar presente nesse enredo: Jack. Um garotinho de oito anos que se sente assustado e perturbado por poder ver os mortos.

   Essa narrativa é mais envolvente que as outras, acho que por contar mais sobre Jesse. E como tem mais fatos sobre ele, fica mais interessante de se ler (principalmente para quem se apaixonou por ele nos outros livros). O enredo foi mais bem desenvolvido, e a trama tem mais emoção. Na minha opinião no livro anterior, Reunião, foi quando a autora finalmente conseguiu se encontrar na história e desenvolvê-la de uma forma mais prática e envolvente.

Avaliação: 

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe