[Resenha] A última batalha, As crônicas de Nárnia #7 - C S Lewis

11:16

Nome: A última batalha
Autor (a): C. S. Lewis
Nº de páginas: 213
Série: As crônicas de Nárnia #7


À luz de uma enorme fogueira crepitante, a última batalha de Nárnia está prestes a acontecer. O rei Tirian, ajudado corajosamente por Jill e Eustáquio, terá de enfrentar os cruéis calormanos, num combate que decidirá, finalmente, a luta entre as forças do bem e do mal. Mas, com tantas dúvidas e confusão ao redor, conseguirá o rei Tirian manter-se firme na hora mais negra de Nárnia?














O último exemplar da saga acabou sendo uma leitura bem especial para mim. Fiquei um pouco relutante em terminar. Cresci vendo Lúcia entrar no guarda-roupa (e me decepcionando com o meu não me levar para lugar nenhum). Tudo que envolve Nárnia me traz um pouco de nostalgia, então quando terminei A cadeira de prata e percebi que o inevitável fim de uma das sagas que mais marcaram minha vida estava chegando.

Quem leu os livros anteriores a esse sabem que os quatro irmãos que nos apresentaram ao fantástico mundo de Nárnia não retornarão novamente a terra de Aslam. Então, antes mesmo de iniciar essa leitura, fiquei com aquela famosa pulga atrás da orelha para saber quem seriam os últimos protagonista da saga.

A estória começa de uma forma um tanto curiosa, os personagens que dão o ponta pé inicial a narração são um macaco, Manhoso, e um jumento, Confuso. E seus nomes representam também suas personalidades. Em uma cachoeira, Manhoso e Confuso encontram a pele de um leão que foi recentemente abatido por um caçador. No momento em que vê a pele, Manhoso tem a ideia de vestir Confuso com a pele e apresentá-lo como Aslam.

Okay, até aí tudo bem. Existem inúmeras estórias que narram seres egoístas que tentam tirar vantagem da ingenuidade de terceiros. E durante o desenrolar dessas primeiras páginas, pensei que esse era mais um desses casos, porém, achei também que a ideia não iria dar certo.

Eis minha surpresa, quando nas páginas seguintes mostram que Confuso se deu bem (Quero deixar uma nota rápida: Creio que a intenção do autor era nos mostrar como várias pessoas são enganadas por falsos profetas - em vários lugares e de várias formas diferente). Manhoso, que no desenrolar da história descobrimos ser um macaco cheio de ambição, usa a fé e o medo de todos que acreditam em Aslam para saciar seus desejos egoístas.

Confuso é um tanto inocente em tudo isso. Pois Manhoso se aproveita constantemente da inocência dele, dizendo que ele não é muito esperto (e Confuso sempre concordando) e fazendo a cabeça do pobre coitado para seguir com a farsa. 

Mas sabe aquele ditado que diz que mentira tem perna curta? Então, desconfiado de toda a comoção e boatos que se espalharam de forma rápida e assombrosa, Tirian - o último rei de Nárnia - consegue poucos aliados nesse batalha para provar que o Aslam que todos estão idolatrando é falso. Enquanto isso, Manhoso se aliou a Tarcaã e ao gato ruivo.

O rei e os poucos narnianos já estavam perdendo a esperança quando Eustáquio e Jill surgem e avisam que os sete amigos de Nárnia haviam se unido para ajudar, mas que ainda não tinham conseguido chegar.

E nesse momento, você deve ter parado e feito e refeito as contas para saber quem são os sete amigos de Nárnia. Mas não posso contar quem são, pois seria um spoiler (vocês terão que ler para saber muhahaha).

Esse livro tem uma aura nostálgica gigantesca, pois Lewis cita em um dos diálogos vários personagens que apareceram nos livros anteriores (reis, rainhas, guerreiros e como Nárnia foi criada). O livro é todo voltado para essa despedida, mas essa última batalha é épica e o final foi simplesmente emocionante (chorei mesmo!)

Indico a todos que cresceram assistindo os filmes e a quem leu todas as aventuras que levam a esse final!

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe