[Resenha] Divergente (Divergent #1) - Veronica Roth

07:49

Nome: Divergente
Autor (a): Veronica Roth
Nº de páginas: 502
Trilogia: Divergente #1

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.

E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.














"Os que culpavam a agressividade fundaram a Amizade 
Os que culpavam a ignorância fundaram a Erudição 
Os que culpavam a duplicidade fundaram a Franqueza 
Os que culpavam o egoísmo fundaram a Abnegação 
E os que culpavam a covardia culparam a Audácia"
Os adjetivos que podem ser usados para descrever Divergente são: Impecável, Instigante, Irresistível, Encantador, Emocionante, Exitante, Perfeito. A riqueza de detalhes que descrevem as cenas tornam o livro mais real e deixa a leitura mais empolgante a cada página. Eu estava morrendo de vontade de ler esse livro por que eu só li resenhas positivas e nas redes sociais todo mundo fala muito bem, então fiquei curiosa. Quando soube que ia ter o filme, fugi de toda e qualquer página do facebook que falasse sobre a trilogia, e consegui. Eu li o livro em 3 dias e me apaixonei. Agora entendo o motivo de tanto alvoroço em relação a ele. Também vi o trailler o filme e estou muito ansiosa para vê-lo.

Divergente é uma distopia que se passa em uma Chicago futurista, após uma guerra todos as pessoas são dividas em facções de acordo com sua personalidade. Tris, uma garota de 16 anos se encontra em uma situação muito... complicada. Após seu teste de aptidão ela descobre que é divergente, ou seja, ela pode se encaixar em mais de uma facção (três no seu caso), só que ser divergente não é uma coisa boa...

Na cerimônia de escolha Tris tem que escolher em qual facção ela quer ficar, Abnegação que é onde cresceu, ou uma das outras quatro, que são Erudição, Audácia, Franqueza, Amizade. Até o momento da escolha ela tem certeza de onde é seu lugar, onde deseja ficar, mas no último segundo faz algo que surpreende não só os que estão assistindo, mas a ela mesma. Essa escolha transforma completamente a vida de Tris. Ela encontra a si mesma e descobre coisas a seu respeito que nunca pensou que existissem.

A história é simplesmente impecável, não consegui encontrar nenhum defeito. A narração flui de maneira natural e a autora soube explorar a história ao máximo. Ela criou personagens que mexem com o leitor, e nos envolve de uma maneira que não tem mais volta. Uma vez que você leia, se apaixona.

Ainda bem que não vi nenhum spoiler a respeito da trilogia, e como ainda estou lendo Insurgente vou continuar fugindo das páginas e de qualquer lugar que possa ter algo sobre os livros. Divergente me ganhou já nas primeiras páginas, me apaixonei pelo quatro e me identifiquei com a Tris. 

Ah, e caso estejam curiosos, fiz o teste e descobri que sou da Erudição. Caso vocês sejam fãs, poderiam deixar um comentário com o nome da facção de vocês?

Avaliação: 

You Might Also Like

2 comentários

  1. Oi, td bom?
    Eu também me apaixonei em Divergente! Não tinha feito nenhum teste, mas quando li seu post fiz o da Capricho. E...sou divergente haha deu Audácia e Franqueza, que combinação...
    Beijos!
    Arrastando as Alpargatas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafa, o seu resultado é igual ao da minha irmã mais nova, coloquei até para minha mãe fazer esse teste (ela seria da franqueza).

      Excluir

Subscribe