[Resenha] O fim, Desventuras em série #13 - Lemony Snicket

11:36

Nome: O fim
Autor (a): Lemony Snicket
Nº de páginas: 312
Série: Desventuras em série #13

Finalmente, o tão esperado 13º volume que encerra a longa narrativa da terrível saga dos órfãos Sunny, Klaus e Violet. Mesmo que a vida dos três oferecesse mistério e martírio suficientes para preencher milhares de páginas, Lemony Snicket garante ter chegado à reta final da solene tarefa que lhe ocupou tantos anos de vida.Mas, como sempre, vale o alerta: aqueles que encontram prazer e alegria em outras coisas, que passem ao largo deste livro - pois é bem possível que O fim acabe com a vida do leitor mais suscetível. Mesmo quem enfrentou corajosamente os doze volumes anteriores não irá suportar tanta desgraça, como uma tempestade bravia, uma bebida suspeita, um bando de ovelhas selvagens, uma gaiola de passarinho gigante e ornamentada, e um segredo de fato assustador sobre os pais dos Baudelaire.Para completar, diferentemente dos outros livros da série, neste último o grande vilão, conde Olaf, está presente desde o início da narrativa. Ele e os Baudelaire começam juntos: estão todos no barco que os salvou no final de O penúltimo perigo. Atracam em uma ilha, que, perdida no meio do oceano, é povoada por náufragos e comandada por Ishmael, um homem barbudo que tem os pés feridos sempre cobertos de barro. Tudo muito suspeito...Será que todo o mistério finalmente será revelado? Afinal, quem são os pais dos órfãos Baudelaire, o que é C.S.C., e o que acontecerá com todos os personagens da série? Bem, talvez O fim não seja para qualquer um. Por isso é de fato muito recomendável que se faça um check-up cardíaco antes de ler o livro.



No último livro das desventuras em série dos órfãos Baudelaire, as coisas tomam um rumo completamente inesperado. Honestamente? Não sei se gostei do desfecho que o autor criou para a história. Afinal, foram doze livros antes do encerramento. E algumas perguntas que surgiram ao longo da leitura não foram respondidas, mas coisas que nunca passaram pela minha cabeça aconteceram em O fim.

Após os acontecimentos do último livro, Klaus, Violet e Sunny acabam náufragos em uma ilha junto com o Conde Olaf. As crianças são acolhidas pelos habitantes, enquanto o Conde Olaf é abandonado na praia por ser considerado rude. Os jovens desafortunados criam esperanças pela primeira vez desde que receberam a notícia da morte de seus pais.

Porém, ao conhecerem o facilitador da ilha, um homem que vive com os pés machucados mergulhados no barro, eles percebem que o lugar não é nenhum paraíso. Os habitantes da ilha não possuem água potável (E a sugestão de Violet de criar uma invenção que filtre a água para todos, é logo rejeitada pelo facilitador), todos usam a mesma túnica branca e moram em tendas. E o facilitador não permite objetos desconhecidos ou qualquer coisa que lembre aos habitantes como é a vida além dos mares (Ele não os obriga, mas sempre encontra  um jeito de fazê-los desistir de ter algo por mais simples que seja).

Mas, Violet consegue esconder sua fita de cabelo, Klaus consegue esconder seu livro de lugar comum e Sunny um batedor. Mesmo querendo se adaptar a nova vida na ilha e desejando um pouco de paz, eles simplesmente não consegue abandonar esses objetos.


O último livro se passa inteiro nessa ilha. O leitor descobre os costumes e os segredos, também descobre coisas sobre os pais Baudelaire e sobre o Conde Olaf. Porém, outras coisas não são desvendadas nesse último exemplar. Não quero me prolongar muito nisso para não dar spoiler, mas fiquei chateada com a falta de informação sobre alguns personagens que fizeram parte e foram importantes na história dos Baudelaire.

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe